By Mariana Pessoa • June 19, 2020

Isolamento social e saúde mental: a prática de exercícios físicos como solução

Com o isolamento social causado pela pandemia da COVID-19 a saúde mental foi colocada em pauta. Neste artigo, explicamos como a prática de exercícios que reduzem a ansiedade podem ser a solução para as pessoas e para o seu negócio.

Os decretos de isolamento social decorrentes da pandemia de COVID-19 estão prestes a alcançar três meses de prolongamento. Até a última semana, o total de mortes contabilizadas pelo Ministério da Saúde era de 40.919, sendo 1.239 apenas em 24 horas. O contingente de pessoas infectadas já está na casa dos 802.828, e, dentre elas, apenas 345.595 – menos da metade – estão recuperadas.

Além da obrigatoriedade do afastamento social, toda a conjuntura de incertezas econômicas, mudanças nas formas de trabalho, preocupação com a própria contaminação e a de integrantes da família acaba por favorecer um estilo de vida nocivo para o quadro de saúde mental.

Uma pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), com cerca de 400 médicos de 23 estados e do Distrito Federal, mostra que 89,2% dos especialistas entrevistados destacaram um agravamento de quadros psiquiátricos em seus pacientes devido à pandemia. Isso demonstra que o problema não recai apenas sobre o público que já consome serviços de atendimento psicológico. Um levantamento com 4.693 brasileiros feito pela Área de Inteligência de Mercado do Grupo Abril, em parceria com a MindMiners, demonstra que 54% dos cidadãos estão extremamente preocupados com a situação da Covid-19.

Por outro lado, estes problemas inusitados podem representar novas oportunidades de mercado para quem quer oferecer soluções – e, sendo a questão relativa à saúde e bem-estar, trata-se de um espaço grande que se abre para recuperação da indústria fitness. Mais do que fortalecer o sistema imunológico e muscular, a prática de esportes tem o poder de aliviar sintomas da ansiedade e da depressão. Os benefícios também se refletem na melhora da autoestima, funções cognitivas e autoconceito.

Visto que os dias dentro do ambiente doméstico favorecem uma rotina sedentária, as apostas dos gestores devem ser voltadas ao atendimento online e individualizado, se o intuito é proporcionar atividades de relaxamento no período da pandemia. Neste artigo, explicamos como oferecer as modalidades preferidas do público, e quais são os melhores formatos para prestar os serviços priorizando a melhor experiência possível para o cliente:

ihrsa2

Quais modalidades oferecer?

Atividades físicas como ioga, pilates, danças e outras parecidas já são tendência entre o público. Entre as celebridades e influenciadores, os tipos de aula que favorecem a meditação e o divertimento, a mesma medida em que prometem a redução de estresse, são amplamente divulgados nas redes sociais. Dentre os seus incontáveis benefícios, estão a facilidade de se praticar em todos os tipos de ambientes.

A ioga é uma prática milenar, que nasceu na Índia e ganhou o mundo, conquistando 36 milhões de adeptos hoje em dia nos Estados Unidos -número que quase dobrou em relação a 2012. Auxiliando diretamente na desaceleração da respiração, melhora da postura e alívio da ansiedade, ela tem sido uma das alternativas favoritas para quem precisa treinar dentro de casa com facilidade e sente a necessidade de equilibrar a mente e o corpo.

Da mesma forma, as aulas de dança são um serviço para lá de divertido e terapêutico em diversos sentidos. Entrevistada pelo portal Saúde Brasil, a professora de dança Juliana Maia afirma que “movimentar-se embalado pelo ritmo da música é capaz de transformar um dia ruim em um dia maravilhoso”. Em qualquer ritmo que seja, o treinamento de dança é uma possibilidade maravilhosa de serviço que pode ser prestado à distância.

O pilates está mais ligado ao fortalecimento e liberação de energia, logo, ao descarregamento da tensão causada pelo estresse. Os exercícios proporcionam melhor condicionamento físico, tonificação muscular, flexibilidade e, principalmente, controle da respiração. Especialistas também afirmam que a prática pode proporcionar melhorias até mesmo na qualidade do sono!

ihrsa3

Formas de prestar o serviço

As atividades nas quais investir são incontáveis, portanto a forma como proporcionar o atendimento é a próxima que deve ser definida. Os meios online permitem tanto transmissões ao vivo, nas quais se torna possível realizar a mesma aula para um número ilimitado de pessoas, assim como chamadas de vídeo individualizadas, envio de materiais audiovisuais para cada aluno, e etc.

De forma que contribua com a estratégia geral do negócio, o correto é elaborar pacotes de forma que seja possível se apropriar de cada ferramenta. Os casos variam para cada tipo de negócio.

A diretora da IHRSA para a América Latina, Jacqueline Antunes, comenta como os gestores podem aplicar essa nova modalidade de modo a conquistar a lealdade dos consumidores e oferecer um diferencial em meio à crise:

Se a sua academia já oferece estas atividades relaxantes, é válido investir em um reposicionamento do serviço adequando-o às novas necessidades dos alunos. Entre em contato com cada um, perguntando como estão enfrentando este período, e ofereça um atendimento individualizado, prometendo ensinar a praticar a modalidade com os ambientes e ferramentas que cada um já tem em casa. Além disso, aulas abertas para o público externo, por meio de lives e calls, são uma boa ideia para quem quer atrair novos clientes por meio de uma espécie de ‘amostra grátis’.” Comenta Jacqueline Antunes, diretora da IHRSA para a América Latina.

Sob outra perspectiva, se o seu negócio ainda não conta com estas possibilidades, o momento pede a contratação de profissionais especializados e a elaboração de um plano que os coloque em foco. Disponibilizar determinada quantidade de atendimentos por semana por meio de pacotes mensais, como uma serventia “extra” a ser paga à parte, pode te proporcionar uma nova forma de renda extra para equilibrar as contas até que a pandemia do novo COVID-19 seja dissipada e o mercado volte ao normal.

Para ambos os casos, não se descarta a necessidade de um posicionamento claro nos canais de comunicação, deixando evidente que a sua preocupação permanece sendo ajudar os clientes a enfrentar esta fase. Se colocar à disposição, perguntando com frequência como estão lidando com as novidades e se precisam de alguma ajuda, não é mais uma opção. O cliente (aluno) precisa se sentir assistido, contando com o apoio da academia em tempos de tanto stress e incertezas. Se apoiarmos nossos clientes nestes momentos de dificuldade, eles corresponderam com lealdade.” Finaliza Jacqueline.

Para entender melhor quais estratégias adotar para estruturar um plano de serviços extra durante o período de isolamento social, descubra como implementar uma estratégia de serviços virtuais.