By Mariana Pessoa • June 4, 2020

Crianças e o isolamento social: como atender as necessidades dos pequenos

Os decretos de isolamento social alteraram a rotina de todo mundo, mas o público que mais está tendo dificuldade para se adaptar é o infantil. Diante da suspensão do funcionamento das escolas, somada a impossibilidade de brincar nas ruas, pais e mães ao redor do país se preocupam em evitar deixar seus filhos se renderem a um estilo de vida sedentário. Felizmente, a tecnologia está a serviço de todos na missão de conectar as pessoas.

Para entender melhor o que fazer para não se distanciar do público infantil, separamos neste artigo as melhores estratégias de academias que são referência:

 

Alcateia Crossfit e Alpha Fitness – Qualidade do conteúdo

Rafael Seara, proprietário da Alcateia Crossfit, recomenda o investimento em uma boa produção. Em entrevista, ele conta como uma edição bem feita e vídeos bem organizados, pensando no aprendizado do cliente, evitou um grande número de cancelamentos. “A gente viu que os treinos, mesmo sendo em casa, variando, tinham uma necessidade de movimentar diferente as pessoas, dar novos estímulos, além disso, gerar um vínculo do cliente com a casa”, narra o gestor.

Se para os adultos a apresentação do atendimento já é um fator de relevância, no que se refere às crianças isso representa um agravante ainda maior. Para atrair a atenção e conquistar a sua simpatia, é necessário uma preocupação pedagógica ainda maior. Utilizar recursos extra, contação de histórias e exercícios lúdicos é essencial. “Nós sabemos que é um desafio ainda maior estar com as crianças, cheias de energia, dentro de casa”, completa Guilherme Reis, gestor da Alpha Fitness.

 

Baby Gym – Adaptação ás tendências digitais

Desafios, hashtags, vídeos curtos e engraçados são a sensação entre os usuários da internet. Por meio de propostas simples, é possível envolver pais e filhos em atividades divulgadas pelos próprios clientes e engajam o público externo.

A Baby Gym é uma empresa pioneira no serviço de treinos específicos para bebês, e tem como público alvo as crianças entre dois meses e quatro anos. Para o idealizador do projeto, o propósito do negócio é oferecer um local para aprimorar o desenvolvimento físico e motor ao longo desta faixa etária.

O período de quarentena obrigou o negócio a se adaptar. Nos perfis das redes sociais, as diversas iniciativas têm sido divulgadas, e os seguidores têm se mostrado engajados. Por meio da hashtag #EmCasaComaBabyGym, que já tem mais de 500 publicações relacionadas, a empresa tem promovido lives com exercícios pedagógicos voltados para crianças pequenas, apresentando como material itens básicos que se tem em casa. Além disso, os pais são convidados a gravar vídeos da família brincando e interagindo com as plataformas.

 

Bodytech Babies & Kids – Agenda rica de postagens

Conhecida pela aposta em inovação, a rede Bodytech criou um centro de treinamento  para bebês, localizado no Shopping Leblon, no Rio de Janeiro. Em 2019, a marca atendeu cerca de 2 mil crianças, representando 1,8% do seu total de clientes. Ao longo da pandemia, a sua presença digital tem se voltado para três principais serviços: transmissões ao vivo, dicas de atividades e vídeos salvos nos perfis.

Todas as semanas, um dos professores especializados oferece uma aula ao vivo, com a participação de uma criança, e ensina aos pais e responsáveis como manter os filhos em forma por meio de passatempos simples. Somado a isso, são liberadas postagens demonstrando como os alunos e suas famílias estão se divertindo juntas durante a quarentena, de forma a engajar o restante dos clientes.

Agora que você sabe como as empresas especializadas em atendimento infantil estão se posicionando, que tal conferir outras dicas para o seu negócio sobreviver à pandemia? Descubra Como será a nova relação com os clientes após a crise.