By Mariana Pessoa • March 17, 2020

4 motivos para continuar indo à academia

O último surto de coronavírus, o COVID-19, fez com que muitas pessoas se perguntassem: devo continuar indo à academia?

Alguns grupos, como aqueles que são mais vulneráveis a complicações da doença, têm sido aconselhadas pelas autoridades a tomar precauções extra, o que pode significar a permanência em casa. Mas, para a maioria das pessoas, prosseguir com a rotina na academia ainda é uma boa ideia.

Ir para a academia – ou fazer exercícios, no geral – é bom para o sistema imune, pode reduzir o estresse, além de promover uma boa dose de atividade social (que é ainda mais necessária em tempos de reclusão).

Este artigo destaca quatro motivos que vão provar que a ida à academia continua sendo benéfica, ainda que em tempos de epidemia:

 

1. Exercícios podem melhorar o seu sistema imune

Muitos estudos associam a atividade física a melhorias no sistema imunológico e risco de doenças. Um texto publicado no Journal of Sport and Health Science demonstrou como sessões de exercício, de cerca de uma hora, aprimoram a circulação de hemoglobinas, células exterminadoras NK, linfócitos T e outras células de imunidade que tem um papel essencial na defesa do organismo contra patógenos, e podem ajudar a reduzir a inflamação.

Uma análise de experimentos clínicos deste estudo constatou que as pessoas fiéis a uma rotina de atividade física, em longo prazo (entre oito semanas e um ano) tiveram menor incidência de infecções do trato respiratório, com reduções tão altas quanto 40-50% entre as pessoas que praticam diariamente. Além deste, vários estudos biológicos, resumidos em um artigo do New York Times, indicaram que a aptidão física é boa para o sistema imunológico, e que até mesmo breves sessões podem amplificar a capacidade do corpo de se proteger.

Algumas evidências posteriores levaram alguns a concluir que exercícios extenuantes, como correr em uma maratona, têm um efeito negativo no sistema imunológico. No entanto, uma pesquisa de 2018 da Frontiers In Immunology encontrou provas para fundamentar a conexão entre exercícios mais pesados e o aumento da força imunológica.

 

2. Esportes ajudam a reduzir o estresse

Pesquisas realizadas pela Carnegie Melon descobriram que pessoas com níveis mais altos de estresse psicológico são mais vulneráveis ao resfriado comum. Além do dano ao sistema imunológico, a condição emocional pode ter um efeito negativo na saúde mental e no bem-estar. E o exercício pode ser a solução.

Um estudo publicado na Frontiers in Physiology mostrou que o treino regular fera maior resiliência emocional ao estresse agudo e de curto prazo em pessoas saudáveis. Os entrevistados da pesquisa “Stress in America” da American Psychological Association relataram efeitos positivos da prática de esportes, incluindo: melhora no humor, confiança e calma.

Segundo a pesquisa, 43% dos americanos relatam que usam exercícios para controlar o estresse, e 62% dessas pessoas o consideraram extremamente eficaz.

 

3. Atividade física também é boa para a saúde metabólica

Uma saúde metabólica deficiente é diretamente ligada ao sistema imunológico, e essa é que é uma das razões pelas quais pessoas com condições crônicas correm o maior risco de contrair infecções. Outras dissertações também descobriram que pessoas com diabetes e glicemia alta são mais vulneráveis ao contágio de doenças.

Além disso, estudos de longo prazo mostram que 30 minutos de exercício moderado, como caminhar rapidamente, por 30 minutos por dia, podem reduzir o risco de diabetes em 30%.

 

4. Academias são limpas e seguras

As academias limpam suas instalações regularmente, e exigem dos clientes que limpem seu equipamento após o uso. Nos últimos meses, muitos aprimoraram suas políticas de limpeza à luz do surto de coronavírus. A maioria dos especialistas concorda que as academias não representam uma ameaça específica em comparação com outras áreas de reuniões públicas, como igrejas, shoppings ou supermercados.

Paul Sax, diretor médico da divisão de doenças infecciosas do Brigham and Women's Hospital em Boston, disse à Time Magazine: “a academia não é um lugar necessariamente mais arriscado que outras áreas comuns. Eu não diria que há algo particular nas pessoas suando que as torna mais contagiosas.”

Robert Glatter, médico de emergência do Hospital Lenox Hill, em Nova York, disse ao Yahoo Finance: "Eu ainda continuaria minhas atividades normais neste momento. Assim como você normalmente deveria - mesmo antes da chegada do coronavírus - sempre limpe suas mãos cuidadosamente depois de usar equipamentos de ginástica com gel para as mãos ou usar lenços à base de alvejante. Também é importante evitar tocar nos olhos, nariz e boca, pois é assim que o vírus entra no corpo ".

Desde que as academias estejam abertas para negócios, é importante lembrar aos membros os benefícios do exercício para a saúde - mesmo e principalmente durante períodos de estresse, ansiedade e preocupação.